O novo Aranha: sobre o filme e o jogo

Quem me conhece sabe que eu já fui um vã ardoroso do herói aracnídeo. Sim, fui, pois depois de sucessivas reviravoltas do personagem que a Marvel insistia em fazer e não levavam a lugar algum (exceto ao desrespeito ao leitor), decidi parar. E parece que esse desrespeito não se limita mais apenas aos quadrinhos, mas ao cinema também.

Power Up Heroes

Outro jogo para kinect, com a inevitável ideia de se fazer um jogo de luta na qual você pode soltar magias fazendo movimentos com o próprio corpo. Legal, não? Os movimentos incluem fazer o movimento “hadouken”, pular, levantar o praço e abaixar, bater palmas, abrir os braços… enfim, tem uma variedade de golpes, além de, claro, socos e chutes.

Continue lendo “Power Up Heroes”

Spider-Man: Shattered Dimensions

Até o presente momento, para mim, o melhor jogo do Aranha ainda era o saudoso Spider-Man VS. Kingpin do Mega Drive. Tinha os vilões clássicos do herói, sentido de aranha que disparava quando o vilão chegava e você podia tirar fotos dos bandidos para converter em dinheiro e recarregar o fluido de teia. Fora que você conseguia fazer o escudo de teia e o desafio do jogo era muito bom. O chefe final, o Rei do Crime, é lembrado até hoje como um dos mais bem bolados do Mega: além de bater na cabeça do gordão (o que já era difícil) você ainda tinha que impedir que a Mary Jane caísse num tanque de ácido.

Continue lendo “Spider-Man: Shattered Dimensions”