Novos episódios tão bons quanto os da primeira.

Já falei da primeira temporada aqui e o quão empolgante ela foi. Então, lógico que quando saiu a segunda, não perdi tempo. Vamos lá?

– Episódio 1: Meet in the Middle

Somos apresentados a Phil, um homem anti-social cansado de encontros às cegas, que subitamente começa a ouvir a voz de uma mulher em sua cabeça. Papo vai, papo vem, é claro que não demora para que ele se apaixone. E algumas pessoas fazem qualquer coisa por amor. Um dos melhores episódios da temporada.

– Episódio 2: Downtime

Morena Baccarin estrela uma gerente de hotel que subitamente vê o mundo todo parar, porque está “em manutenção”. Um dos episódios mais fracos, só vale pela excelente atriz, que como sempre trabalha de forma fenomenal.

– Episódio 3: The Who of You

Win Rosenfeld (do excelente Infiltrado na Klan), um dos produtores da série, estreia na escrita do roteiro e entrega o episódio mais eletrizante da temporada. Na trama, um artista decadente tenta roubar um banco, quando subitamente descobre ter a habilidade de transferir sua consciência para o corpo de outra pessoa. Começa então uma corrida de troca de corpos para tentar fugir com o dinheiro. Disparado, o melhor episódio.

– Episódio 4: Ovation

Sempre tem um episódio que gira em torno de algum objeto místico. Desta vez, é uma moeda, encontrado por uma cantora de rua, que subitamente se vê decolando na carreira simplesmente porque as pessoas não conseguem parar de aplaudi-la. Outro episódio fraquinho, com final previsível.

– Episódio 5: Among the Untrodden

Escrito por Heather Anne Campbell, que já havia entregado os excelentes “Six Degrees of Freedom” e “Not All Men” na primeira temporada, vem o conto de uma garota adolescente cujo projeto de ciências é testar fenômenos paranormais. Inadvertidamente, ela acaba descobrindo que a líder do grupinho que sempre pratica bullying com ela acaba tendo poderes e as duas logo se aproximam. Mas adolescentes são cruéis e é só uma questão de tempo até tudo dar errado.

– Episódio 6: 8

Glen Morgan, além de produtor da série, é um dos roteiristas com mais episódios e agora entrega o seu melhor. Numa trama fortemente inspirada em “Alien”, vemos cientistas numa estação submarina procurando por uma nova espécie de polvo. E eles a encontram. Episódio tenso, com aquela pegada de criatura inteligente e mortal contra uma tripulação. Muito bom, embora a trama pudesse render bem mais do que 40 minutos. O final fica com aquela sensação de “ué, mas já acabou?”.

– Episódio 7: A Human Face

Um casal está prestes a se mudar quando descobre um alienígena no porão. A criatura logo assume a forma de sua filha falecida e eles ficam entre a razão e a emoção para aceitá-la. Mais um episódio bem fraco.

– Episódio 8: A Small Town

James está vivendo no sótão da igreja de sua cidade de interior após a morte de sua esposa. Ele subitamente encontra, entre os entulhos acumulados, uma maquete perfeita da cidade e não demora a descobrir que, o que quer que ele faça na maquete, tem implicações no mundo real. É a oportunidade perfeita para consertar tudo o que está errado na cidade, mas é claro, as coisas não saem como esperado. Episódio bem bacana, competente, mas sem grandes reviravoltas.

– Episódio 9: Try, try

É difícil falar sobre esse episódio sem dar spoilers. Um homem salva uma mulher de ser atropelada e, logo depois, eles se encontram num museu. Começam a conversar, mas ela logo percebe que tem alguma coisa de errado com ele, já que ele parece antever as coisas que vão acontecer a cada minuto. Basta dizer que você com certeza já viu isso antes, mas não desse ponto de vista. Uma boa sacada, que entrega outro episódio bem bacana.

– Episódio 10: You Might Also Like

Se na primeira temporada o último episódio foi um dos melhores, aqui acontece o inverso. Arrisco a dizer que é o pior de todos os 20 lançados até agora. A trama gira em torno de uma mulher que vive em uma comunidade “encenada” e monocromática, onde todos vivem à espera de seu “ovo familiar”, embora ninguém saiba do que se trata. A mulher logo descobre que toda noite é abduzia por alienígenas que parecem ter saído de um filme dos Trapalhões. Sério, é ridículo demais e a trama não vai pra lugar nenhum. Totalmente dispensável.

No geral, a temporada apresentou poucos episódios de destaque, sendo o 1 e o 3 os melhores, com a maioria mediana e outros bem ruins. De qualquer forma, vale a conferida. Que venha a terceira!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s