Nesse novo “episódio” do Guia de Leitura, decidi resgatar as histórias do caveirinha flamejante.

Ser fã de personagens secundários é complicado no Brasil, pois as editoras nunca dão muita atenção. Se a Abril já fazia cortes de páginas e até edições inteiras com os “medalhões” como Homem-Aranha e X-Men, imagine com heróis de pouco destaque, como é o caso do Motoqueiro Fantasma.

É por isso que resolvi escolher o caveiroso como “alvo” dessa edição do Guia de Leitura, mas focando principalmente na versão Danny Kecth, pois foi ela que trouxe o personagem do limbo, com visual repaginado que foi sucesso de vendas e apresentou-o para a nova geração. Não acho que seja exagero nenhum dizer que foi até por causa dele que a Marvel resolveu fazer os filmes estrelados por Nicholas Cage (duas bombas, diga-se de passagem, mas não vem ao caso agora).

Antes, no entanto, é importante uma breve recapitulação na versão original do herói. Surgido nos anos 70, ele era o motociclista Johnny Blaze, que fizera um pacto com o demônio para tentar salvar seu sogro, Craig “Crash” Simpson. É claro, o cramunhão o trairia, não apenas deixando que Simpson morresse, mas incumbindo Blaze de um poder infernal e um desejo insaciável de punir criminosos.

Como Motoqueiro Fantasma, ele viveria inúmeras aventuras e até mesmo participaria do grupo Os Campeões, ao lado da Viúva Negra, Hércules, Anjo e Homem de Gelo. Ele passaria por vários altos e baixos em sua vida e, pouco a pouco, iria aprendendo mais sobre si mesmo. Por exemplo, logo seria revelado que o demônio com o qual ele fizera o pacto se tratava de ninguém menos que Mefisto, o príncipe das trevas no Universo Marvel, que existiram outros motoqueiros antes dele e que ele havia sido possuído por Zarathos, um poderoso demônio que caminhara sobre a Terra por eras.

Seu poder era tal que rivalizava com o de Mefisto, ao que o chifrudo elaborou um estratagema para tirá-lo da jogada, manipulando um príncipe indígena para captura-lo. Após apagar sua memória, Mefisto passou a usá-lo como seu agente, até que o tal príncipe, chamado de Centúrio, especializou-se na captura de espíritos. Centúrio, ao saber que Zarathos caminhava novamente sobre a Terra, decidiu confrontá-lo e ambos foram capturados para um artefato chamado Cristal das Almas.

Foi então que Johnny Blaze finalmente se viu livre de sua maldição, pôde casar com sua amada Roxxane, a filha de Crash Simpson, e comprou o circo que era de seu genro, com a ajuda de seu amigo Anjo. Tudo parecia ter terminado bem, mas é claro que, em se tratando de quadrinhos, nada é para sempre. Principalmente finais felizes.

A revista original Ghost Rider teve 81 números entre 1973 e 1983, sendo alguns deles publicados aqui no Brasil de forma dispersa nas revistas Heróis da TV e Capitão América. A nova encarnação da revista só sairia em 1990, mas bateria este recorde e seria a mais longeva do personagem até então, com 94 números. Novamente, contudo, foi publicada de forma dispersa por aqui, desta vez nos títulos Superaventuras Marvel, Íncrivel Hulk e Marvel 97 e 98.

Nessa nova origem, Denny Ketch encontra uma motocicleta em um cemitério enquanto ele e sua irmã espionavam alguns bandidos. Quando sua irmã Bárbara foi baleada por um deles, o sangue inocente dela ativou uma estranha transformação e ele se tornou o novo Motoqueiro Fantasma.

Sem lembranças do que ou quem ele era, esse novo Motoqueiro se intitulava o Espírito da Vingança e negava que era Zarathos, além de possuir um Olhar da Penitência que ele usava para se vingar de quem derramasse sangue inocente. Seu primeiro arco de histórias trazia uma disputa entre o Rei do Crime, um homem misterioso chamado Algoz e uma espécie de vampiro com o dom de inibir a luz, chamado Blecaute. Em seu primeiro confronto com Blecaute, este tentou mordê-lo mas, tendo o rosto engolido pelas chamas de fogo infernal, acabou tendo o rosto desfigurado e por isso passou a odiar o Motoqueiro.

Não demoraria muito, ele descobria a identidade de seu inimigo e mataria sua irmã, que estava em coma no hospital até então. Kecth então passou a perseguir Blecaute e a organização de Algoz, ao mesmo tempo em que caçava outros criminosos, por vezes ao lado de heróis como Justiceiro, Wolverine, Homem-Aranha e outros.

Mas nenhum desses encontros foi tão importante quanto o retorno de Johnny Blaze que, ao saber que o Motoqueiro estava de volta, decidiu caçá-lo para livrar a Terra desse mal de uma vez por todas, já que ele acreditava que se trava do demônio Zarathos, livre uma vez mais. Mas Blaze logo perceberia seu erro e se juntaria ao Motoca em várias aventuras.

Um a um, seus inimigos sentiram sua vingança: Zodíako, Fulgor, Algoz… até que Blecaute retorna disposto a derrotar o Motoqueiro de uma vez por todas. Para tanto, ele morderia a garganta e Danny Kecth, com a certeza de que, matando o hospedeiro, o Espírito da Vingança desvaneceria.

Ledo engano. O Motoqueiro continuou vivo, e perseguindo Blecaute com mais ódio do que nunca, só que agora ele não poderia reverter a transformação, sem saber o que aconteceria com Danny.

Nesse ponto, Motoqueiro e Blaze acabariam tendo de formar uma estranha aliança com Morbius, Blade (o Caçador de Vampiros) e outros personagens de “viés místico” para deter uma revivida Lilith, uma demônia-rainha que conseguira retornar e, claro, queria deflagrar uma nova era de trevas sobre a Terra. Essa saga ficou conhecida como A Ascensão dos Filhos da Meia-Noite e também apresentou pela primeira vez o misterioso Coveiro. No final, Lilith traz o espírito de Danny de volta à Terra para atuar como um de seus “Lilins”.

Depois de ser derrotada, o Dr. Estranho ajuda o Motoqueiro e Danny a se reunirem novamente. É nesse ponto que os leitores brasileiros sofrem com a continuidade, pois, durante as reformulações feitas pela Abril em 1997 (cancelamento dos títulos do Hulk, Capitão América e Superaventuas Marvel e o lançamento de “Marvel 97”), a editora simplesmente deu um salto de 25 edições no título do Motoqueiro (sem contar a total ignorada no título adjacente, Spirits of Vengeance, além da mini-série Dark Design, continuação direta de Corações Negros), publicando apenas um resumo mequetrefe do que havia acontecido com o personagem, além de importantes revelações sobre seu passado.

Basicamente, a volta de Danny não duraria muito, pois Zarathos retornaria e, aliado a Lilith, roubaria o poder do Motoqueiro para si e o mataria no processo. O Tenente da polícia Michael Badilino, obcecado pela captura do Motoqueiro, venderia sua alma a Mefisto para ter o poder de derrota-lo, e se tornaria Vingança, personagem que substituiria o Motoca nas próximas edições.

O retorno de Zarathos obrigaria o Coveiro a contar a Danny e Blaze sua verdadeira história, que basicamente era a seguinte: milênios atrás, ele ajudara a fundar uma organização chamada Blood, com o intuito de deter Zarathos. Aliando-se aos Espíritos da Vingança, eles conseguiram fazê-lo, para isso forjando um medalhão, que acabaria absorvendo parte do poder de Zarathos. Como tal artefato era poderoso e instável demais, eles decidiram parti-lo e alguns fragmentos foram inseridos na “linhagem espiritual” de duas famílias. Uma dessas famílias era justamente da qual descendiam Johnny Blaze e Danny Ketch, que então descobriram que eram irmãos!

Sim, havia pouco tempo que Danny descobrira que ele e sua irmã eram adotados, mas agora toda a verdade viria a tona: era Barb quem deveria ter sido o Espírito da Vingança, e não ele. De qualquer forma, esse renascimento acabaria chamando a atenção de Centúrio que, após todos esses anos, havia conseguido se libertar do Cristal das Almas e se tornado um chefe criminoso. Ao saber do retorno do Motoqueiro, ele enviara vários inimigos para detê-lo: Algoz, Fulgor, T.E.T.R.A, o novo Devorador de Pecados… até cansar-se de manipulações e partir para o confronto direto.

Contudo, inesperadamente, Zarathos também estava vivo dentro dele e, ao emergir, ele se alia a Lilith para tentar reaver sua glória. O Dr. Estranho então reúne uma vez mais os Filhos da Meia-Noite para derrotar Zarathos de uma vez por todas.

Tempos depois, um maligno cientista chamado Anton Hellgate reconstituiria o Motoqueiro para seus próprios fins. É claro, o Espírito da Vingança logo retomaria controle sobre si e Vingança acabaria matando Hellgate, mas não antes deste assassinar Roxxane Simpson.

As histórias que sucedem são medianas, sem grande importância, mostrando um Motoqueiro e Danny lutando pelo controle e tendo de lidar com um inimigo apelidado de Assombração, que consegue capturar o herói, bem como alguns de seus inimigos. A última história de Danny Ketch no Brasil foi publicada em Marvel 98 # 12, e as 26 edições restantes do título Ghost Rider jamais aportariam em terras tupiniquins.

Não é de se estranhar. Era o final dos anos 90, possivelmente a pior fase dos quadrinhos de heróis até então. Capitão América de armadura, Aranha na Saga do Clone, Justiceiro virado em anjo, Hulk completamente sem rumo, e por aí vai. Não é à toa que a Marvel estava à beira da falência na época e, pois isso mesmo, a edição final de Ghost Rider (94), acabou sendo cancelada até mesmo lá nos Estados Unidos, por conta do medo de ser um fracasso de vendas.

A saída de Howard Mackie do título do Motoqueiro só faria aumentar a velocidade na queda de qualidade dos roteiros, que já vinha acontecendo desde o final da saga A Ascensão dos Filhos da Meia-Noite, que já não contava mais com a arte do excelente Max Texeira, quem ilustrara as primeiras 24 edições e consagrou o novo visual do Motoqueiro.

Antes do final do título, no entanto, seria revelado que o Espírito da Vingança era, na verdade, Noble Kale, ancestral de Johnny Blaze e Danny Ketch. Pego em um jogo entre seu maligno pai e, claro, Mefisto, Noble teria sido o Ghost Rider original, até acabar sendo expulso para um limbo onde, desmemoriado, poderia ser invocado por seus parentes que detivessem o Medalhão do Poder.

Nas histórias finais, o Motoqueiro Fantasma consegue derrotar Coração Negro, filho de Mefisto (que assumira o trono de seu pai desde o especial Dark Design) e tomar seu lugar como senhor do inferno!

Na edição 94, caso publicada, veríamos Dan livre da maldição do Motoqueiro, Johnny Blaze tendo de lidar com um novo desaparecimento dos seus filhos e Noble Kale tomando algumas medidas radicais como senhor do Inferno, entre elas libertar todos os demônios de suas obrigações.

Caso queria acompanhar as poucas histórias de Danny Ketch publicadas no Brasil, segue a lista:

Siglas:

  • SAM – Superaventuras Marvel
  • HK – O Incrível Hulk
  • WV – Wolverine
  • GHM – Grandes Heróis Marvel
  • M97 – Marvel 97
  • M98 – Marvel 98
  • FXM – Fabulosos X-Men
  • SAM 127: O Motoqueiro Fantasma ressurge.
  • SAM 128: A Guerra entre o Rei-Do-Crime e Algoz.
  • SAM 129: A chegada de Blecaute.
  • SAM 130: O acerto de contas com Algoz, Blecaute e o Rei.
  • Marvel Force 9 (Editora Globo): Motoqueiro Fantasma e Justiceiro contra o Apátrida.
  • GHM 40: Motoqueiro e Justiceiro contra a Ilha Mamute.
  • HK 124: Motoqueiro Fantasma contra o Espantalho.
  • HK 125: Surge a T.E.T.RA.
  • WV 22: Motoqueiro Fantasma e Wolverine contra os ninjas de Algoz.
  • Homem-Aranha e Motoqueiro Fantasma: A nova personalidade do Duende Macabro.
  • HK 126: Motoqueiro Fantasma na caça do assassino Zodíako.
  • Motoqueiro Fantasma/Wolverine/Justiceiro – Corações Negros: os três anti-heróis contra o filho de Mefisto, Coração Negro.
  • GHM 45: Aranha, Motoqueiro, Hulk e Wolverine: o novo Quarteto Fantástico!
  • HK 136: Motoqueiro Fantasma na terra de Pesadelo.
  • HK 137: Motoqueiro e Dr. Estranho contra Zodíako e uma legião de demônios.
  • HK 138: Surge Fulgor… e Johnny Blaze retorna.
  • HK 139: O confronto com Johnny Blaze.
  • HK 140: Motoqueiro Fantasma vs Blaze vs Blecaute vs T.E.T.R.A.
  • HK 141: Motoqueiro, Homem-Aranha e Blaze contra O Duende Macabro.
  • HK 142: O Motoqueiro na caça do Reverendo Styge, o novo Devorador de Pecados.
  • Motoqueiro Fantasma e Capitão América – Medo: os dois heróis contra o Espantalho.
  • HK 145: Motoquero vs Zodíako vs o homem que não pode morrer.
  • HK 146: Motoqueiro na caça de Fulgor. E surge o Tenente Badilino.
  • HK 147-148: O confronto final com Algoz.
  • HK 149: A morte de Danny Ketch.
  • FXM 01/02: Motoqueiro e os X-Men contra a Ninhada.
  • HK 159-164: A Ascensão dos Filhos da Meia-Noite.
  • M97 02: A nova fase do Motoqueiro Fantasma.
  • M97 03: Caçado pela polícia.
  • M97 04: Fugindo para os esgotos, o Motoqueiro encontra o Abominável.
  • M97 05: Revelada a identidade de Shriker.
  • M97 06: Motoqueiro vs Justiceiro vs Demolidor.
  • M97 08: Aprisionado no Buraco Negro.
  • M97 09: Fuga.
  • M97 10: O acerto de contas com o Assombração.
  • M98 10: O confronto final com Blecaute.
  • M98 11-12: Motoqueiro, Gambit e Wolverine contra a Ninhada.

É claro que vira e mexe, a Marvel traz de volta o caveirinha flamejante, como nas seguintes séries:

  • Ghost Rider (2001) The Hammer Lane 1-6: inédita no Brasil.
  • Ghost Rider (2001) Corporate Hell 1-2: inédita no Brasil.
  • Ghost Rider (2005) The Road to Damnation 1-6: publicado pela Panini em Marvel Max 42-45 (2007) e depois na edição encadernada “Estrada para a Danação” (2012).
  • Ghost Rider (2006) 1-32 + Ghost Rider Annual (2006) 1-2: algumas publicadas pela panini no título Universo Marvel, a partir da edição 25 (2007).
  • Ghost Rider: Danny Ketch (2008) 1-5: publicado pela Panini em Marvel Terror 2 (2011).
  • Ghost Rider (2011) 0.1-9: publicado pela Panini em Marvel Terror 4-5 (2012).
  • All New Ghost Rider (2014) 1-12: publicado pela Panini como “Motoqueiro Fantasma” 1-3 (2017).
  • Ghost Rider (2016) 1-5: inédito no Brasil, conta a história de Robbie Reyes.
  • Ghost Rider (2019) 1-7: publicado pela Panini como “Motoqueiro Fantasma: rei do Inferno” (2021).

Destas, eu só li Estrada para a Danação, publicada para aproveitar a onda do filme. A história praticamente ignora toda a fase de Danny Ketch, trazendo Johnny Blaze novamente na pele do Motoqueiro, agora preso no inferno, e joga-o numa trama envolvendo anjos, demônios, blablabla. Apesar de eu adorar o Garth Ennis, só a arte de Clayton Crain que se salva aqui.

Dessa forma, as demais provavelmente mostram mais incongruências e apresentam outras versões do personagem, como Robbie Reyes e Alejandra Jones.

Agora, a Marvel prepara um novo retorno de Johnny Blaze, em comemoração aos 50 anos do personagem, segundo o site Legião dos Heróis. O artigo deles traz, inclusive, um resumo das diferentes versões do Motoqueiro.

Bibliografia:

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s