Game of Thrones – Parte 2

Segunda parte daquele resumo que vai fazer você ficar no hype!

A Guerra dos Cinco Reis, como ficou conhecida – por envolver Remy Baratheon, Stannis Baratheon, Robb Stark, Balon Greyjoy e Joffrey Lannister – se aproxima do fim. Robb e Renly estão mortos, Balon está enfrentando as forças de Lorde Bolton no norte e não há ameaça iminente contra o Rei Joffrey. Ou ao menos, é o que ele pensa.

*** Quarta Temporada ***

Os Lannister: Jaime reassume seu lugar na guarda real, mesmo a contragosto do pai, que lhe dá uma de duas espadas novas de aço valiriano, forjadas a partir da espada oficial dos Stark. Mas ele agora tem de aprender a lutar com a mão esquerda e Tyrion pede para que Bronn o ajude nessa árdua tarefa.

Brienne cobra Jaime de sua promessa de libertar as filhas dos Stark uma vez devolvido à capital. A situação, no entanto, mudara, já que ninguém vê Arya desde a morte de Ned e Sansa agora está casada com Tyrion, somando-se a isso o fato de que todos os Stark conhecidos estarem mortos (eles não sabem que Bran e Rickon estão vivos no norte).

Tyrion fica sabendo que sua irmã e seu pai descobriram seu envolvimento com Shae. Para protege-la – já que Tywin havia prometido matar a próxima vadia que encontrasse em sua cama – o anão acaba terminando com ela, dizendo-lhe coisas horríveis para magoá-la de maneira que ela não volte. Bronn a escolta até um navio que deve leva-la a Pentos, do outro lado do Mar Estreito.

Chega em King’s Landing o Príncipe Oberyn, junto a sua esposa Ellaria Sand, representando a presença da Casa Martell de Dorne no casamento do Rei. Os Martell, contudo, nutrem de um profundo desprezo pelos Lannister, em especial Oberyn, já que a história de sua família remete aos tempos do Rei Louco. Sua irmã Elia era prometia a Rhaegar Targaryen quando este decidiu sequestrar Lyanna Stark, o que resultara na rebelião de Robert Baratheon que acabou por vitimar todos os Targaryen.

Quando os exércitos de Robert finalmente chegaram à capital, reza a lenda que Elia Martell fora estuprada e chacinada pelo Montanha, seguindo as ordens de Tywin Lannister. Oberyn, portanto, tem muitas contas a acertar.

Chega o dia do casamento entre o Rei Joffrey e Margaery Tyrell. Na festa, todavia, Joffrey acaba morrendo, envenenado. Tyrion, que na ocasião estava sendo humilhado pelo sobrinho e pega sua taça para examiná-la assim que ele começa a engasgar no próprio sangue, é apontado por Cersei como culpado e é preso.

Durante a confusão, Petyr Baelish aproveita para resgatar Sansa sem que ninguém perceba. Eles escapam de navio no meio da noite e quando os Lannister percebem seu sumiço, já é tarde demais.

Podrick visita Tyrion na prisão e lhe informa que seu julgamento será presidido por Tywin, Mace Tyrell (pai de Margaery, agora com um lugar no conselho) e o Príncipe Oberyn. Ele admite ter sido procurado por alguém para dar falso testemunho contra Tyrion e este então lhe ordena para que deixe a cidade.

Isso coincide com Jaime ordenando Brienne que encontre Sansa e a leve para um lugar seguro. Ele lhe dá a espada que ganhara, uma nova armadura e Podrick como escudeiro, e os dois partem de King’s Landing.

Lady Olenna também está deixando a capital, mas antes conversa com sua neta e dá a entender que fora ela quem envenenara Joffrey, para livrá-la de um casamento que teria sido um pesadelo. Ela a encoraja, contudo, a tentar a sorte com o próximo rei.

O filho mais novo de Cersei, Tommen, assume então a coroa. Margaery passa a visita-lo às escondidas, para aproximar-se dele e então seguir com seu plano de se tornar rainha.

Chega então o dia do julgamento, que na verdade é uma farsa. Uma série de testemunhos falsos ou distorcidos dos quais Tyrion não pode sequer se defender. Mas o ápice se dá quando Tywin traz Shae para depor, ao que ela confirma que Tyrion matara Joffrey para agradar sua esposa, Sansa.

Não suportando tamanha traição, Tyrion explode contra os juízes e toda a audiência, acabando por exigir, novamente, um julgamento por combate. Mais uma vez, contudo, Jaime não poderá defende-lo, já que ainda não consegue lutar com a mão esquerda.

Ele recorre a Bronn, mas este já tem seus planos, o que não inclui morrer em combate, já que Cersei escolhera o Montanha como seu campeão. Quando já estava sucumbindo ao desespero, Tyrion recebe então a visita do Príncipe Oberyn. Ele lhe explica que seus inimigos estão na capital e que o Montanha é um deles, oferecendo-se para ser seu campeão.

Quando chega o combate, Oberyn não parece ter grandes dificuldades, mesmo contra um oponente gigantesco como o Montanha. Ele dança com sua lança na arena, desviando-se e atacando, ferindo seu oponente até que ele esteja de joelhos. Ele então crava a lança em seu peito e o Montanha cai, mas Oberyn não se dá por satisfeito. Ele deseja ouvir a confissão de seu inimigo de ter estuprado e matado sua irmã.

No entanto, o Montanha ainda consegue derrubá-lo, agarrar sua cabeça e esmaga-la com suas próprias mãos, antes de desfalecer para a morte certa. Tyrion, que já estava dando como certa a vitória, é então condenado à morte.

Qyburn, um meistre que havia perdido seu título por conta de seus experimentos, voltara a King’s Landing após tratar os ferimentos de Jaime em Harrenhal. É ele quem agora tenta salvar o Montanha, mas já avisa Cersei que ele ficará… diferente.

Antes que a sentença de Tyrion seja executada, contudo, Jaime vem salvá-lo. Ele lhe aponta o caminho onde encontrará Lorde Varys que o ajudará a tirá-lo da capital. Antes, contudo, Tyrion decide ter com seu pai. Ao entrar em seus aposentos, ele encontra Shae em sua cama.

Sem pestanejar, ela o ataca, ao que ele se defende e, mesmo com o coração partido, acaba matando-a sufocada. Em seguida, ele pega uma besta que pertencia a Joffrey e procura pelo pai, encontrando-o fazendo suas necessidades.

Tywin confirma que sempre quisera que ele morresse. Após uma breve troca de farpas, Tyrion atira contra o pai, acertando-o duas vezes e deixando-o para morrer. Ele foge e Varys o coloca numa caixa em um navio, o qual ele também sobe a bordo.

Ninho da Águia: no caminho para o Vale, Lorde Baelish confessa a Sansa que fora dele o plano de matar Joffrey, a mando de Lady Olenna. Eles chegam ao Ninho da Águia e Sansa passa-se por sua sobrinha para que ninguém saiba que ela está lá. Exceto sua tia Lysa, é claro, e seu primo Robin. Lysa e Baelish casam-se na mesma noite e ela se recorda de dias passados, quando eles eram amantes. Mindinho pedira que ela envenenasse o próprio marido e contasse à irmã que foram os Lannister, originando toda a guerra.

Lysa, no entanto, morre de ciúmes de Sansa, o que só se agrava quando ela vê Baelish beijá-la. Logo depois, ela chama sua sobrinha e tenta jogá-la pela Porta da Lua, um portal na sala do trono que dá para uma queda gigantesca, já que o Ninho fica no alto de uma montanha.

Lorde Baelish intervém, salvando Sansa e jogando sua esposa para a morte certa. Ele conta aos nobres do Vale que Lysa cometera suicídio e Sansa o ajuda a mentir. Algum tempo depois, ela pinta o cabelo de preto e ajuda Baelish a convencer Robin de que é hora dele visitar o mundo lá fora, já que sua mãe superprotetora o mantinha no Ninho e o amamentava até os 10 anos de idade. Já era hora, portanto, de uma mudança.

Ramsay e Theon: depois de toda tortura e maus tratos, Theon agora atende pelo nome de Fedor e serve Ramsay, com o espírito totalmente quebrado. Seu pai, Lorde Bolton, vem ao seu encontro e ordena que ele capture Fosso Cailin, um ponto estratégico que está nas mãos dos Greyjoy.

Ao ouvir a confissão de que Bran e Rick continuam vivos, Bolton ordena a um de seus homens, Locke – o mesmo que arrancara a mão de Jaime Lannister – procure pelos garotos e os mate.

Dias depois, Yara vem ao resgate de seu irmão à noite, matando os homens de Ramsay e chegando até sua cela. Theon, contudo, atende apenas pelo nome Fedor e não deseja partir. Seus berros chamam atenção dos guardas e do próprio Ramsay, que enfrentam Yara e seus homens. Por pouco ela consegue escapar, convencida, então, de que seu irmão está morto.

Logo depois, Ramsay ordena que Fedor se passe por Theon Greyjoy e vá até Fosso Cailin como um aliado, ordenando que seus homens se rendam. Um truque, é claro, para que ele tome o castelo sem grandes dificuldades. Como manda a tradição dos Bolton, Ramsay esfola todos eles vivos.

Por seus esforços em ter cumprido com o ordenado, Ramsay então é reconhecido por seu pai como filho legítimo, com todos os direitos que isso lhe confere. Ele agora não é mais Ramsay Snow, mas sim Ramsay Bolton, e marcha para Winterfell.

Stannys Baratheon: A feiticeira segue queimando os infiéis, chegando inclusive a matar o irmão da esposa de Stannys. Davos tenta reunir um exército para que eles possam continuar sua guerra, ao mesmo tempo em que seu rei comemora as mortes de Robb e Joffrey, acreditando ser fruto da feitiçaria de Melissandre.

Davos então tem a ideia de navegar até Braavos, onde fica o Banco de Ferro, solicitando um financiamento para que Stannys possa reclamar o que lhe é direito. A princípio relutantes, os lordes do banco acabam concordando quando Davos argumenta que os Lannister já lhes devem uma quantia considerável e que provavelmente nunca pagarão a dívida.

Agora munido de recursos suficientes, Stannys readquire seu exército e ruma para o norte, com o intuito de atender ao pedido de ajuda da Patrulha da Noite.

Arya: continua na estrada com o Cão, que pretende leva-la até sua tia Lysa, até que eles param numa estalagem onde encontram homens da guarda real. Um deles é o mesmo que atacara os prisioneiros que iam para a Muralha procurando por Gendry, matara seus amigos e roubara-lhe Agulha, a espada que Robb lhe dera.

Após uma confusão, ela consegue mata-lo e recuperar sua espada, enquanto Cão mata o resto deles. Arya agora já age como uma assassina, embora ainda lhe falte treinamento, mas pratica todos os dias. E após o Casamento Vermelho, a lista de pessoas em sua lista de vingança só aumenta.

Por conta das mortes na estalagem, a recompensa pela cabeça do Cão aumenta e eles cruzam dois mercenários no caminho. Um deles arranca-lhe um pedaço do pescoço na mordida enquanto o outro, a própria Arya dá cabo, espetando-lhe o coração com Agulha.

Eles seguem em frente, eventualmente chegando no Vale, mas logo recebem a notícia de que Lysa Arryn morrera. Arya ri da cara do Cão que, sem muita escolha, decide dar meia-volta e eles retomam a estrada.

Ao mesmo tempo, Brienne e Podrick param na mesma estalagem onde se encontrava Torta Quente. Após uma troca de palavras, Torta fica convencido que Brienne é de confiança e lhe conta sobre o provável paradeiro de Arya Stark.

No caminho para o Vale, eles eventualmente trombam com Arya e o Cão. Brienne tenta convencer Arya a ir com ela, contando-lhe sobre o juramento que fizera à sua mãe para protege-la e à Sansa. Arya, contudo, não confia nela e o Cão desembainha sua espada para defende-la.

Os dois envolvem-se em um embate furioso, que termina com o Cão despencando de um barranco. Arya aproveitara a oportunidade para escapar e Brienne parte para procura-la, junto com Podrick.

Antes de deixar o lugar, contudo, Arya aproxima-se do Cão, que ainda respira, embora com ferimentos graves e irreparáveis. É certo que ele vai morrer, então pede para que ela o mate, riscando, assim, mais um nome de sua lista.

No entanto, ela se recusa, apenas roubando-lhe o dinheiro e deixando-o agonizar. Em seguida, ela cavalga até o litoral, onde encontra um barco prestes a partir para Braavos. Ela usa, então, a moeda que ganhara de Jaqar, dizendo as palavras que ele lhe ensinara. O capitão aceita a moeda como pagamento por sua passagem e Arya embarca numa nova aventura para além do Mar Estreito.

Bran: ao norte da Muralha, Bran, Hodor e os irmãos Reed seguem seu caminho. Ele já está dominando melhor seus poderes de warg e eles chegam até a árvore sagrada de sua família. Ao encostá-la, Bran tem uma visão de onde encontrar o corvo de três olhos. Eles chegam à Casa Craster, onde os amotinados da Patrulha estão banqueteando e abusando das mulheres, e acabam sendo capturados.

Locke, vassalo de Lorde Bolton, a essa altura infiltrara-se na Patrulha da Noite para procurar pistas por Bran e Rickon. Ele acompanha Jon em sua empreitada para matar os amotinados, mas destaca-se do grupo para capturar Bran. Este, contudo, consegue dominar a mente de Hodor e matar Locke.

Depois de libertar seus companheiros, ele vê Jon lutar contra os amotinados. Ele quer encontra-lo, mas sabe que Jon tentará protege-lo e o levará de volta a Castelo Negro. Bran decide então esgueirar-se para longe da batalha para continuar sua jornada em busca do corvo de três olhos.

Eventualmente eles chegam até uma árvore parecida com a que ele tocara anteriormente. Antes que possam se aproximar dela, contudo, são atacados por esqueletos vivos. Bran domina Hodor mais uma vez para defende-los, mas não é o suficiente para salvar Jojen, que acaba morrendo esfaqueado.

Os esqueletos são muitos, mas quando tudo parece perdido, eles são salvos por uma das Filhas da Floresta, uma criatura ancestral com a forma de uma criança e que lança bolas de fogo com as próprias mãos. Eles fogem para uma caverna sob a árvore, onde os mortos não conseguem entrar e, caminhando mais um pouco, encontram suas raízes. Entre elas, há um velho, que Bran entende como sendo o corvo de três olhos.

O velho lhe diz que o esperava há muito tempo, para que ele possa recuperar o que perdera. A princípio Bran se anima com a possibilidade de andar novamente, mas o velho afirma que ele nunca mais irá andar. No entanto, poderá voar.

A Muralha: Gilly ajuda nas tarefas diárias de Castelo Negro, mas Sam teme por sua vida e integridade no meio de um bando de homens, achando por bem leva-la até Vila Toupeira, onde ela encontra refúgio em um bordel, nomeando seu filho de Sam em homenagem àquele que lhe salvara do Caminhante Branco, muito embora ninguém acredite na história.

A raça de canibais dos Thenns junta-se ao grupo de Tormund e Ygritte. Para tentar atrair os patrulheiros para fora do castelo, eles chacinam uma vila de moradores. Um garoto chamado Olly escapa, apenas para levar as más notícias à Patrulha, que nada podem fazer.

Dois patrulheiros chegam do norte, com a notícia de que os rebeldes continuam na casa de Craster. Jon afirma que eles têm de ir até lá e mata-los antes que os selvagens de Mance os ataquem e os interroguem sob tortura, revelando os segredos das defesas do castelo.

Thorne, que assumira o posto de Lorde Comandante, concorda com o plano, apesar de continuar desprezando Jon, mas somente porque percebe que Jon é mais querido que ele, com fortes chances de se tornar o Lorde Comandante. Ele espera que seu rival morra nessa aventura e não permite que ele leve ninguém, apenas voluntários.

Mas para surpresa de Thorne, Jon consegue alguns amigos leais para acompanha-lo, inclusive Locke, que havia se infiltrado na patrulha a mando de Lorde Bolton para encontrar Bran e Rickon. O grupo logo parte para a casa de Craster, onde os amotinados estão banqueteando e abusando das mulheres.

Eles conseguem se infiltrar e matar todos eles. Jon ignora o fato de que Bran havia sido feito cativo e que conseguira escapar de Locke enquanto ele estava envolvido na batalha. Apenas encontra o corpo de Locke com o pescoço brutalmente quebrado.

Libertadas, as mulheres pedem que os patrulheiros queimem a casa de Craster. Elas se recusam a ir embora com eles e seguirão seu próprio caminho.

Antes que Jon e seus homens chegassem, no entanto, eles haviam feito uma última oferenda aos Caminhantes Brancos, o último filho de Craster fora deixado na neve. Vemos o Rei da Noite pegar o bebê e levar até sua fortaleza, onde testemunhamos o bebê se tornar um deles, ficando claro, portanto, que eles usavam os bebês para fazer crescer seu exército.

Jon reencontra Ghost e o grupo retorna a Castelo Negro. Não demora a chegar a notícia de que o grupo de Tormund atacou a Vila Toupeira e Sam fica preocupado com Gilly e o pequeno Sam, sem saber se eles conseguiram escapar ou não. Pouco depois, contudo, ela e o filho retornam ao Castelo Negro. Sam os esconde enquanto a batalha se torna iminente.

Thorne comanda as defesas do alto da Muralha, mas quando o grupo de Tormund ataca o castelo vindos do sul, ele é obrigado a descer, deixando o comando para Janos Slynt, que prova-se incompetente. Um dos amigos de Jon lhe diz que Thorne precisa de sua ajuda lá embaixo e ele deixa Jon no comando, acabando por esconder-se junto a Gilly.

Eles, então, enchem os selvagens com uma enxurrada de flechas e barris. Dois gigantes e um mamute tentam romper o portão externo, mas os patrulheiros conseguem matar um dos gigantes e afugentar o mamute com explosivos. Furioso, o outro gigante ergue o portão e passa sozinho por ele.

Seis patrulheiros então descem para defender o portão interno, o qual o fazem, pagando o preço com suas próprias vidas. Ao mesmo tempo, Thorne é ferido e os demais vão sendo massacrados pelos homens de Tormund. Sabendo disso, Sam sobre para pedir ajuda a Jon. Ele atende ao pedido, deixando seu amigo Edd no comando, que não tem grandes dificuldades em repelir alguns dos selvagens que ainda insistem em atacar ou escalar a Muralha.

Assim que desce, Jon ajuda os companheiros a matar os selvagens e, após quase sucumbir ao líder dos Thenn, consegue dar cabo nele também. Exausto e sem sua espada, ele se depara com Ygritte apontando-lhe uma flecha. Ele apenas sorri, satisfeito que seja ela a mata-lo. Mas ela não tem chance de disparar, sendo atingida por uma flecha disparada por Olly antes. Jon se aproxima e ela morre em seus braços.

A batalha logo termina e Tormund é feito prisioneiro. Na manhã seguinte, Jon conversa com Sam e explica que aquilo não foi vitória alguma. Ele sabe que Mance ainda detém a vantagem numérica e que apenas testou as defesas da Muralha. Percebendo, portanto, que eles não tem chance, Jon parte sozinho para tentar matar o Rei para Lá da Muralha.

Ao chegar no acampamento dos selvagens, Jon consegue se aproximar sob pretexto de negociar a rendição de Mance, blefando. Os dois conversam e brindam aos mortos. Antes que tenha a chance de fazer qualquer coisa contra Mance, no entanto, surgem os homens de Stannys, que vem a cavalo e massacram os selvagens. Sabendo que está derrotado, Mance se rende e é feito prisioneiro.

Eles queimam os mortos, tanto do povo livre quanto dos patrulheiros. A pedido de Tormund, contudo, Jon leva Ygritte para o norte para queimar seu corpo e despedir-se de sua amada.

Daenerys Targaryen: depois de libertar os escravos em Astapor e Yunkai, ela e seu exército marcham para Meereen, cidade das pirâmides. Do lado de fora, o campeão da cidade vem desafiá-la, mas Daario o vence facilmente.

À noite, Verme Cinzento invade a cidade sorrateiramente por túneis subterrâneos até os escravos. Atingindo seu objetivo, ele os arma com espadas, facas, sabres e lâminas de todo o tipo. Estoura então a rebelião e os escravos matam seus mestres.

Daenerys toma a cidade, mas fica sabendo que seu trabalho em Astapor e Yunkai fora desfeito e as cidades estão novamente nas mãos de escravagistas. Ela decide então adiar seus planos de cruzar o Mar Estreito para libertar de vez as cidades da Baía dos Escravos.

Inicia-se um relacionamento entre Missandei e o Verme Cinzento, enquanto Daenerys se deita com Daario. Ela o envia para Yunkai para matar aqueles que haviam tomado o poder e retornado ao regime escravagista.

Enquanto Daario está fora, Sor Barristan recebe uma carta de King’s Landing informando-lhe sobre o perdão real de Sor Jorah. Apesar de ser claramente um plano dos Lannister para dividi-los, isso não importa: para Daenerys, fica claro que Jorah a espionava desde o começo decide exila-lo.

Ela passa a governar Meereen, ouvindo as reclamações de seus cidadãos e procurando resolvê-las de forma justa. Mas uma reclamação que se torna recorrente é a de seus dragões, atacando as fazendas próximas e devorando ou simplesmente queimando os animais. Até que um deles mata uma garotinha.

Ela decide, então, aprisionar dois de seus filhos, enquanto o outro permanece desaparecido. Aos prantos, ela os acorrenta e os prende numa masmorra.

*** Quinta Temporada ***

King’s Landing: no funeral de Tywin, Cersei reencontra seu primo Lancel, o mesmo que havia adulterado o vinho do Rei Baratheon e que mantinha relações com ela nas duas primeiras temporadas. Ele, contudo, está diferente, com o cabelo raspado e veste apenas um manto. Lancel explica que ele agora é membro dos Pardais, um grupo de fanáticos religiosos dedicados à Fé dos Sete. Apesar de não dar a mínima para religião, Cersei vê ali uma oportunidade e começa a tramar algo.

Ela recebe de Dorne uma víbora com o colocar de sua filha, Myrcella. Claramente uma ameaça dos Martell, Jaime então afirma que irá viajar até lá para resgatá-la. Contudo, ele deverá ir sozinho e incógnito, a fim de evitar uma guerra. Para tanto, ele persuade Bronn a acompanha-lo, oferecendo-lhe uma esposa e um castelo.

Eles logo partem e Cersei assume provisoriamente o cargo de Mão enquanto o Rei Tommen não encontra um candidato à altura. Ela nomeia Mace Tyrell como Mestre da Moeda (enviando-o a Braavos para negociar a dívida da coroa) e Qyburn como Mestre dos Sussuros no lugar de Varys. Tenta nomear seu tio Kevan como Mestre da Guerra, mas ele se recusa e retorna a Casterly Rock.

Tommen e Margaery se casam e ela tenta manipular o rei para que mande sua mãe de volta a Casterly Rock, sem sucesso. Em seguida, o Alto Septão é atacado em um bordel por Lancel e outros Pardais. Ele exige ao Conselho que algo seja feito e Cersei vai falar com o Alto Pardal, mas tem seus próprios planos, que envolve se livrar dos Tyrell.

Ela autoriza então a recriação da Fé Militante, um exército a serviço dos Pardais. Eles passam então a cravar na própria testa o símbolo de sua fé e começam a agir mais avidamente contra os “pecadores”, chegando a atacar o bordel de Mindinho e aprisionam Sor Loras por seus atos de homossexualidade.

Quando Tommen fica sabendo, sua mãe se faz de desentendida e afirma que ele tem de conversar com o Alto Pardal. Escoltado por seus homens, ele assim o tenta, mas sua entrada no Templo é impedida pelos soldados da Fé. Percebendo que não conseguirá libertar o cunhado sem violência, Tommen desiste temporariamente, para fúria de Margaery.

Logo, o Alto Pardal conduz um inquérito sagrado, onde Loras se diz inocente das acusações e Margaery o defende. Contudo, ao chamar um amante do rapaz que confirma ter mantido relações com ele, o líder religioso confirma que há evidências suficientes para que haja um julgamento. Loras retorna a sua cela e agora Margaery também é presa, sob acusação de perjúrio diante dos deuses.

Lady Olenna tenta intervir junto ao Alto Pardal, sem sucesso, já que não há com o que barganhar com um homem que não deseja nada exceto “servir os deuses”. Cersei delicia-se em sua vitória, mas por pouco tempo. Quando Lancel confirma ao Alto Pardal que os boatos de incesto não são apenas boatos e que teve parte na morte do Rei Baratheon, Cersei também é presa, ou seja, seu tiro saíra pela culatra.

Seus próximos dias são torturantes, numa cela escura e úmida, onde não lhe dão sequer água para matar a cede, exigindo apenas que ela confesse, ao que ela se recusa, prometendo matar todos eles. Ela recebe a visita de Qyburn, que lhe conta já ter tentado fazer de tudo, mas o Rei não recebe ninguém e faz greve de fome. Ele sugere que ela confesse, sendo a única saída viável de seu cárcere.

Dias depois, ela finalmente se rende, admitindo ter se deitado com seu primo, mas nega as demais acusações. O Alto Pardal então permite que ela volte à Fortaleza Vermelha, contanto que ela faça a caminhada da expiação.

As septãs então cortam-lhe o cabelo, a despem completamente e a põem para andar no meio da multidão, escoltada por membros da Fé Militante. A septã mestra vai atrás, tocando um sino e gritando “vergonha” repetidamente. A multidão lhe xinga, lhe cospe, joga tudo que é tipo de coisa contra Cersei e, muito embora ela faça de tudo para não demonstrar desespero, acaba chorando ao cair quando seus pés sangrando já não aguentam mais.

Ela se levanta e segue em frente, finalmente chegando ao castelo e sendo recebida por Qyburn, que a cobre e lhe apresenta o então revivido Montanha, agora membro da Guarda Real. Aparentemente desfigurado sob o capacete, Qyburn explica que ele fez voto de silêncio e que não voltará a falar até todos os inimigos da coroa estarem mortos.

Dorne: depois da morte de Oberyn, Ellaria Sand retorna para seu lar furiosa e vai ter com o Príncipe Doran Martell, irmão de Oberyn que, apesar de aleijado, é quem governa os Jardins de Água. Ele diz que está de luto pela morte do irmão, mas que nada fará em retaliação, já que ele fora morto em combate.

Ela então se reúne com suas filhas, as letais “Sand Snakes” (Serpentes da Areia) – Obara com sua lança, Nymeria com o chicote e Tyene com suas facas. A essa altura, elas já sabem sobre a missão de Jaime de chegar em Dorne e raptar Myrcella. Elas então decidem chegar até ela antes dele e, se isso provocar uma guerra, tanto melhor, já que estão sedentas pelo sangue dos Lannister.

Jaime e Bronn se aproximam do reino ao sul, mas são vistos por quatro guardas, sendo obrigados a mata-los. Depois de enterrar os corpos, eles pegam suas roupas e as vestem, sendo um tanto mais fácil infiltrar-se nos jardins passando-se por guardas.

Eles conseguem se aproximar de Myrcella, mas esta está apaixonada por Trystane Martell, a quem fora prometida, e não deseja partir. No mesmo instante, as três Serpentes os encontram e iniciam um confronto. A briga é boa, mas acaba sendo interrompida pela chegada dos guardas, que trancafiam todos na prisão.

Jaime conversa com o Príncipe Doran e explica que ele deseja levar Myrcella de volta após ter recebido a ameaça. Doran olha para Ellaria em desaprovação e concorda com o pedido, contanto que seu filho Trystane volte com eles e ocupe um lugar no conselho.

Nas celas, Bronn e Tyene se provocam e, embora nada seja consumado, fica a insinuação de um possível envolvimento entre os dois. Trystane concorda em libertá-lo, com a condição de que o guarda real lhe dê um soco na mandíbula como pagamento pelo soco que Bronn lhe dera antes.

As Serpentes também são libertadas, mas Ellaria é obrigada a jurar lealdade a Doran e deixar a vingança por Oberyn de lado, o que ela faz aos prantos. Na despedida, contudo, ela dá um beijo em Myrcella com um batom envenenado.

Uma vez no barco que os leva de volta à capital, Jaime tenta contar a Myrcella que ela é sua filha. Ela diz que já sabe e fica feliz, um instante antes de morrer nos braços do pai/tio.

Arya: ela chega em Braavos e bate à porta da Casa do Preto e Branco. Afirma procurar por Jaqen H’ghar, mas o homem que atende afirma não haver ninguém ali com esse nome e fecha a porta na sua cara. Ela então joga a moeda fora e passa a viver como mendiga nas ruas, até ser encontrada por aquele mesmo homem, que agora remove seu rosto, revelando uma vez mais o rosto de Jaqen.

Ele não atende mais por esse nome, no entanto, afirma apenas ser ninguém, algo que Arya precisa aprender a ser. Ela então passa a executar tarefas triviais, como varrer o chão e ajudar uma menina pouco mais velha a limpar cadáveres.

O Homem sem Rosto ordena então que Arya se desfaça de suas posses. Ela joga suas roupas e quase tudo o que possui no mar, mas não consegue se desfazer de Agulha, que esconde no meio de rochas.

Depois de algumas semanas, o Homem sem Rosto revela a Arya uma área secreta do templo, onde eles guardam milhares de rostos para uso. Apesar de saber que ela ainda não está pronta a se tornar ninguém, acredita que ela possa se tornar outra pessoa.

Envia-a então às docas, onde ela se passa por uma vendedora de ostras chamada Lanna. Lá, ela conhece seu alvo, um vendedor de seguros. A família de um dos segurados contratara os Homens sem Rosto para mata-lo depois que ele se recusara a pagar o valor combinado.

No dia seguinte, Arya está pronta para matar seu alvo envenenado, mas presencia a chegada de Mace Tyrell no porto, acompanhado de Meryn Trant da Guarda Real. Trant era o primeiro alvo da lista de Arya, por ter matado seu professor de esgrima, Syrio Forel. Ela o segue até um bordel, onde descobre que ele prefere garotinhas.

Retornando à Casa do Preto e Branco, ela mente ao Homem, dizendo que seu alvo não estava com fome, e que tentará de novo no dia seguinte. O Homem concorda, apesar de desconfiado e, na noite seguinte, Trant se vê diante de três garotinhas. Ele bate nas duas primeiras, que gritam de dor, enquanto a terceira não dá um gemido sequer, apesar dele quebrar a vareta em suas costas.

Percebendo que ele vai ter trabalho, manda as outras duas embora e dá um soco no estômago da terceira. Ela cai, mas em seguida remove seu rosto, revelando ser Arya Stark. Ela então pula para cima de Trant, esfaqueando-lhe os dois olhos. Ela faz questão que ele saiba quem ela é e por que ele está morrendo, antes de cortar-lhe a garganta.

Quando retorna à câmara secreta para devolver o rosto, é confrontada pelo Homem com o rosto de Jaqen, que sabe que ela matou alguém que não deveria. Aquela vida pertencia ao Deus de Muitas Faces e agora uma dívida foi criada, dívida que só pode ser paga com vida. Ele toma um veneno e tomba na sua frente, para desespero de Arya.

A Garota, que estava atrás dela, agora se torna Jaqen. Confusa, Arya remove o rosto do cadáver à sua frente, depois mais um, e outro e outro, até encontrar seu próprio rosto. O Homem então explica que ela ainda não era ninguém. E usar um rosto sem ser ninguém é como tomar veneno. Arya, então, aos poucos vai perdendo a visão, até ficar completamente cega.

A Muralha: após sua derrota, Mance recebe a proposta de unir-se a Stannys e lutar ao seu lado, junto com seus selvagens. Ele se recusa e é sentenciado à morte na fogueira, sentença que é executada pela feiticeira Melissandre.

Jon não suporta ver o homem agonizando e o mata com uma flecha no coração, contrariando Stannys. Apesar disso, ele lhe oferece a chance de deixar Castelo Negro e juntar-se à batalha contra os Bolton, vingando assim a morte de sua família. Se ele concordar, o nomeará Jon Stark, Protetor do Norte. Apesar de tentadora, Jon recusa a proposta, afirmando ter feito um juramento à Patrulha da Noite.

Ele acaba sendo escolhido novo Lorde Comandante, numa acirrada eleição contra Thorne. Agora com o poder de se livrar de seu rival, ele decide mantê-lo por perto e o nomeia Primeiro Patrulheiro.

Contudo, ordena que Janos Slynt vá para o Castelo Guardagris, uma pilha de ruínas. Claramente o fez para separá-lo de Thorne e porque sabe que Slynt é um covarde que se escondera na batalha contra os selvagens. Slynt se recusa e Jon é obrigado a executá-lo.

Jon também faz de Olly seu intendente e Sam o ajuda a enviar cartas pedindo por homens e suprimentos para a Patrulha, inclusive dos Bolton, o que o desagrada. Logo em seguida, Melissandre tenta seduzi-lo, sem sucesso.

Stannys se prepara para partir, mas antes conta para sua adorada filha a história de como ela adoecera e de como ele fez de tudo para salvá-la, o que evidencia seu amor por ela. Ele fica, portanto, enojado quando Melissandre dá a entender que ele terá de sacrificar a pequena Shireen se quiser sair vitorioso contra os Bolton.

Sabendo que o exército dos mortos marcha para o sul e estará sobre eles a qualquer momento, Jon se vê diante de uma escolha difícil. Ele quer a ajuda dos selvagens, mesmo sabendo que isso irá fazer metade da Patrulha odiá-lo. Ainda assim, decide libertar Tormund, propondo-lhe um acordo: ele deverá reunir os selvagens remanescentes e trazê-los até o sul. Jon permitirá sua passagem, mas eles deverão lutar ao seu lado quando chegar a hora.

Tormund concorda, com a condição de que Jon vá com eles. Ele então reúne alguns de seus amigos mais fiéis e pede alguns barcos emprestados da frota de Stannys. Eles chegam em Durolar onde, após uma conversa tensa, alguns dos selvagens concordam com o plano.

No entanto, antes que possam entrar nos barcos e sair dali, eles são atacados pelo exército dos mortos. Jon lidera a resistência para dar algum tempo para que as pessoas possam fugir, mas acabam perdendo as poucas adagas de vidro de dragão que haviam trazido.

Jon enfrenta o que parece ser um dos líderes dos Caminhantes Brancos, com uma espada comum que se quebra facilmente no confronto. Ao usar sua espada Garalonga, no entanto, que é feita de aço valiriano, consegue derrota-lo, muito embora mais e mais mortos surjam das colinas para engoli-los.

Desesperadamente, os últimos sobreviventes entram nos barcos e remam para longe. Enquanto estão fugindo, presenciam o próprio Rei da Noite reerguer seus mortos e juntarem-se às fileiras de seu exército.

Enquanto estão fora, sem ninguém para apoia-lo, Sam enfrenta dois irmãos que tentavam estuprar Gilly. Ele só não morre por conta da intervenção de Ghost, mas seus esforços são recompensados quando Gilly finalmente se deita com ele.

Meistre Aimon morre logo em seguida e, quando Jon retorna, concorda em deixar que Sam vá com Gilly e o pequeno Sam para Vilavelha, onde poderá estudar para se tornar Meistre ao mesmo tempo em que protege os dois.

Jon então deixa os selvagens passarem, bem como o último gigante vivo, tornando-se o Comandante mais odiado da história. Sobretudo por Olly, que teve a família chacinada por eles e não entende o porquê dessa aliança sem sentido.

À noite, Olly vem procurar por Jon, afirmando que um dos selvagens alegara ter visto seu tio Benjen ao norte da Muralha. Animado, Jon vai ver quem é, mas encontra apenas uma placa escrita “Traidor”. Thorne, então, lidera um bando de patrulheiros que se revezam esfaqueando-o, gritando “Pela Patrulha”. Jon cai de joelhos e o próprio Olly lhe dá o golpe de misericórdia.

Jon tomba morto da neve, com o sangue escorrendo sob seu corpo.

Wintefell: Lorde Baelish e Sansa deixam o Vale, já que ele recebera uma proposta de casamento, mas não conta maiores detalhes a ela. Eles deixam Robin sob os cuidados de Lorde Yohn Royce e logo param em uma estalagem.

Podrick e Brienne estavam comendo nessa mesma parada e Podrick reconhece Sansa. Brienne se aproxima para oferecer sua proteção, mas ela recusa, confiando em Lorde Baelish, que ordena a seus homens que a escoltem. Brienne acaba tendo que fugir, matando alguns desses homens no caminho.

Quando ela e Podrick estão em segurança, ela explica que deseja segui-los, pois sabe que Sansa não estará protegida ao lado de Mindinho. Ela também se compromete a treinar Podrick em combate, duas vezes por dia.

Eventualmente, eles chegam a Fosso Cailin, onde fica claro que a proposta de casamento não era para Baelish, mas para Sansa: ela deverá se casar com Ramsay Bolton. A princípio relutante em contrair matrimônio com os traidores de sua família, ela finalmente concorda depois que Mindinho lhe explica a importância dessa aliança e de como ela poderá usá-la para se vingar no futuro.

Eles chegam a Winterfell e ele a apresenta aos Bolton, partindo alguns dias depois, tendo sido convocado em King’s Landing. A amante de Ramsay, Myranda, tem um ataque de ciúmes e tenta se aproximar de Sansa para amedrontá-la.

Por fim, o casamento acontece e Sansa se vê vivendo um novo tipo de pesadelo, sendo abusada e espancada por Ramsay frequentemente. Ela havia recebido a mensagem de uma senhora, vinda de Brienne, de que se um dia ela precisasse de ajuda, deveria deixar uma vela acesa na janela da torre quebrada. Desesperada, ela pede para que Fedor o faça, mas ele acaba contando a seu mestre, que esfola a pobre senhora e mostra seu cadáver a Sansa.

Ramsay e seu pai começam a fazer planos para se defender do ataque de Stannys. Para sorte deles, uma forte nevasca começa a cair em todo o norte e Stannys, apesar da vantagem numérica, sabe que as condições não são favoráveis. Ele, contudo, não irá recuar.

Enquanto Roose deseja resistir ao cerco, já que eles tem suprimentos para seis meses e Stannys não está acostumado ao frio, Ramsay tem outra ideia. Ele pede 20 bons homens ao seu pai e ataca o acampamento inimigo, incendiando suas barracas à noite.

Os prejuízos são imensuráveis. Sabendo o que terá de fazer, Stannys envia Davos de volta à Muralha para pedir ajuda à Patrulha da Noite. Na verdade, apenas um engodo, já que ele estaria prestes a concordar com o plano de Melissandre de sacrificar sua filha e não queria a interferência de seu braço direito.

Mesmo pesaroso, Stannys então permite que Melissandre queime Shireen viva. Sua esposa Selyse, que sempre fora devota ao deus do fogo, então se arrepende amargamente e tenta impedir o ritual, mas os homens a seguram.

No dia seguinte, a feiticeira comemora o fim da nevasca e vê o degelo começar, acreditando ter sido obra de seu deus, atendendo ao sacrifício. Contudo, Selyse acabara se enforcando e metade dos homens desertaram. Percebendo a derrota iminente, Melissandre também vai embora.

Sem outra escolha, Stannys decide seguir em frente e põe seus homens em marcha para Winterfell. Lá chegando, ele começa a dar ordens para seus homens formarem trincheiras, mas eles logo percebem que não haverá nenhum cerco, quando o exército dos Bolton vem enfrenta-los a cavalo. Mesmo sabendo que não tem chance alguma, Stannys desembainha sua espada e parte para a luta.

Ao mesmo tempo, Sansa consegue escapar de sua masmorra com um saca-rolha que havia pegado escondido. Ela então sobe até a torre para acender a vela e pedir por ajuda, mas Brienne havia acabado de partir para ver a derrocada de Stannys.

Mesmo ferido, ele ainda consegue matar dois soldados dos Bolton, até sentar-se encostado numa árvore para esperar pela morte. É onde Brienne o encontra e finalmente tem a chance de vingar Renly.

Percebendo que tem a chance de fugir enquanto a batalha transcorre, Sansa vaga pelo castelo, até ser abordada por Fedor e Myranda. Esta lhe ameaça com uma flecha, mas quando está prestes a disparar, Fedor a empurra para a morte certa, salvando sua irmã de criação. Sem muita escolha, os dois fogem juntos antes que Ramsay retorne. Eles sobem no alto do castelo e saltam juntos para a neve logo abaixo.

Melissandre acabaria retornando para a Muralha, reencontrando Sor Davos e lhe dando as más notícias, um dia antes da morte de Jon Snow.

Essos: Tyrion e Varys chegam em Pentos, quando o Aranha lhe fala sobre Daenerys Targaryen e como ele acha que os dois podem ajuda-la. O anão concorda, mas eles param em um bordel para “repor as energias”.

Coincidentemente, Sor Jorah estava no mesmo lugar e, reconhecendo Tyrion, decide sequestá-lo e entrega-lo para Daenerys, acreditando que com isso poderá voltar a servi-la. Ele rouba um barco e os dois velejam para Meereen, passando pelas ruínas de Valíria no caminho.

Lá, eles veem Drogon, o dragão foragido, voar sobre suas cabeças, um instante antes de serem atacados pelos lendários Homens de Pedra. São homens irracionais acometidos pela doença escamagris, que faz com que a pele fique toda coberta por escamas.

Eles são obrigados a lutar por suas vidas e perdem o barco no processo, fugindo até uma praia próxima. Sor Joraj esconde o fato de ter sido tocado por um dos atacantes, na altura do pulso. Eles seguem a pé pela praia, ao que Tyrion confessa ter matado seu pai Tywin e também conta a Jorah o destino de seu próprio pai, traído e morto pelos homens da Patrulha da Noite. Mais à frente, são abordados por um bando de piratas que os capturam e os vendem para um comerciante.

Enquanto isso, em Meereen, Daario retorna dizendo que a missão em Yunkai fora bem sucedida e que a cidade agora é presidida por um conselho formado por ex-escravos. Eles exigem, no entanto, a reabertura das arenas, ao que ela recusa num primeiro momento.

Os Imaculados passam a ser atacados por homens mascarados que se intitulam os Filhos da Harpia. Verme Cinzento consegue capturar um deles, ao que um dos conselheiros chamado Mossador exige sua cabeça. Daenerys afirma que ele terá um julgamento justo, mas Mossador a desobedece, matando-o.

Por sua traição, ela o executa publicamente, mas é escorraçada pelo público. Dias depois, os ataques aos Imaculados continuam e eles caem numa cilada. Lutam bravamente, mas Verme Cinzento acaba encurralado. Ele é salvo pela súbita chegada de Sor Barristan, mas apesar de conseguir matar alguns dos atacantes, o velho cavaleiro já não é mais páreo para uma briga dessa altura e acaba morrendo. Verme Cinzento, apesar de gravemente ferido, sobrevive.

Daenerys então percebe a importância das tradições e acaba concordando em reabrir as arenas, ao mesmo tempo em que decide se casar com
Hizdahr zo Loraq, um dos líderes das famílias nobres de Meereen, para apaziguar as tensões do povo.

O empresário que comprara Sor Jorah e Tyrion o coloca para lutar em uma arena menor para testá-lo. Percebendo que está diante da khaleesi, ele derrota seus oponentes sem mata-los e depois remove seu capacete, revelando sua identidade e implorando por uma chance de conversar.

Ela concorda apenas quando vê Tyrion Lannister ao seu lado e os leva para sua corte. Tyrion consegue convencê-la a deixa-lo vivo e ela decide mantê-lo como conselheiro, mas uma vez mais, ordena que Jorah deixe a cidade. Sem muita escolha, o velho guerreiro retorna ao empresário, afirmando que quer lutar nas arenas.

É então que se dá a grande batalha na arena principal de Meereen, como se fosse o Coliseu. A khaleesi assiste Sor Jorah lutar bravamente contra seus oponentes e, quando ele emerge triunfante, pega uma lança do chão e joga contra o camarote real.

A lança atinge um dos Filhos da Harpia que estava prestes a ataca-la. Sua corte então percebe que eles estão cercados por centenas de soldados inimigos mascarados e Hizdahr morre esfaqueado. Daenerys, Missandei, Daario e Tyrion fogem para a arena, agora ajudados por Sor Jorah, que provara sua lealdade.

Eles lutam bravamente, mas os Filhos da Harpia são muitos e eles acabam cercados. É nesse momento que Drogon retorna, queimando os atacantes ou comendo-os vivos. Eles revidam, jogando lanças contra o dragão. Daenerys então sobe em suas costas e ele foge dali, voando para longe.

Eles vão parar a centenas de quilômetros de Meereen e Daenerys não consegue convencer seu exausto dragão a leva-la de volta. Ela começa a andar pelos pastos para procurar por comida, quando subitamente se vê cercada por um exército dothraki.

Alheios a isso, em Meereen seus aliados indagam o que fazer. Fica decidido que Daario e Jorah partirão em busca da khaleesi, enquanto Tyrion, Verme Cinzento e Missandei governarão a cidade. É nesse momento que Lorde Varys finalmente reencontra Tyrion, juntando-se ao conselho.

*** Sexta Temporada ***

King’s Landing: Jaime retorna com Myrcella já num caixão. Temendo que sua mãe possa ser presa caso pise no templo novamente, o Rei Tommen a proíbe de ir ao funeral. Lá, Jaime ameaça o Alto Pardal, dizendo que não se importaria de mata-lo ali mesmo, mas cercado pelos membros da Fé Militante, acaba desistindo.

Kevan Lannister retornada, decidindo assumir seu lugar como Mão do Rei, ao lado dos demais conselheiros, incluindo Lady Olenna. Apesar de todos detestarem Cersei e Jaime, eles odeiam os fanáticos ainda mais, e bolam um plano. Quando Margaery for chamada para sua caminhada da expiação, o exército dos Tyrell invadirá o Septo e a Guarda Real não intervirá.

Quando chega o dia, no entanto, o Alto Pardal já havia persuadido Tommen a uma aliança entre a Fé e a Coroa, e eles acabam fazendo papel de ridículo. Em seguida, o rei anuncia a data do julgamento e que julgamento por combate será proibido nos Sete Reinos, para desespero de Cersei, que esperava que o Montanha pudesse tira-la dessa.

O dia finalmente chega, mas Cersei não comparece. Seu filho fica impedido de ir pelo Montanha, mas o julgamento de Loras é conduzido, com ele confessando seus pecados. Ele não tem tempo de expiá-los, contudo, já que Cersei ordenara que os porões abaixo do Septo fossem preenchidos de fogovivo. Ele então explode e todos que estavam lá dentro são consumidos pelas chamas, incluindo Margaery, Loras, seu pai, o Alto Pardal, os fanáticos e centenas de outras pessoas.

Ao mesmo tempo, Qyburn assassina Meistre Pyrcell, seu concorrente e que vinha causando problemas para Cersei nos últimos tempos. Tommen, ao saber que Margaery não sobrevivera à explosão, acaba suicidando-se.

Cersei, então, é coroada Rainha dos Sete Reinos.

A Irmandade: diferente do que Arya acreditava, o Cão sobrevivera ao confronto com Brienne. Ele fora salvo por um homem religioso que liderava um bando de camponeses na construção de uma igreja, e juntou-se ao grupo para ajuda-los, em troca de comida e moradia.

No entanto, eles logo são abordados por três homens da Irmandade sem Bandeira, que exigem comida e recursos. Quando o homem se recusa, eles vão embora, mas o Cão sabe que eles vão voltar. Quando isso acontece, acabam por massacrar todos eles.

O Cão parte então ao encalço dos atacantes e mata alguns de seus amigos no caminho. Quando finalmente os encontra, os três estão prestes a serem enforcados por Beric Dondarrion e Thoros de Myr. Cão exige matar dois deles, ao que Beric concorda. Depois, oferece ao Cão a chance de juntar-se a eles, apesar dos pesares do passado.

Os Greyjoy: após escaparem de Winterfell, Sansa e Theon fogem pela neve, sendo perseguidos pelos caçadores e pelos cães de Ramsay. Acabam por encontrar Brienne e Podrick, que chegam em tempo de salvá-los. Após matar os agressores, Brienne novamente oferece sua espada a Sansa, que prontamente a aceita. Theon, no entanto, diz que não seguirá com eles e tentará voltar para casa.

Nas Ilhas de Ferro, Balon Greyjoy perdera o último posto que ocupava nas terras do Norte e, apesar de sua filha Yara insistir que é hora de recuar, ele pretende enviar mais tropas para reconquistar o que fora perdido.

Naquela mesma noite, contudo, seu irmão Euron retorna e, planejando ocupar o lugar dele no Trono Salgado, o empurra do alto da uma ponte para a morte certa. Yara planeja descobrir quem foi o culpado e se vingar, além de ter suas próprias ambições para o trono, mas a Assembleia de Homens Livres decidirá quem deve ocupa-lo.

Theon retorna e, quando a Assembleia ocorre, apoia a candidatura da irmã. Mas os nascidos do ferro nunca tiveram uma rainha e, quando Euron surge reclamando o trono, eles o apoiam, mesmo após ele ter confessado matar o irmão. Isso porque seu plano é construir a maior frota que os mares já viram e dá-la a Daenerys Targaryen, casando-se com ela e ajudando-a a dominar os Sete Reinos.

Yara e Theon, sabendo que ele irá mata-los em seguida, reúnem alguns homens, roubam os melhores navios e fogem. Já coroado Rei, Euron ordena a seus homens que comecem a construir uma nova frota para persegui-los, ignorando o fato de que eles roubaram seu plano e já estão a caminho de Meereen.

Bran: Ainda na caverna com o corvo de três olhos, o velho passa a lhe mostrar visões do passado. Ele visita Winterfell, revendo seu pai e sua tia Lyanna, além do jovem Hodor. Ele descobre que seu amigo é grande por ser filho de gigantes, que seu verdadeiro nome é Willis e que ele conseguia se comunicar normalmente.

O velho alerta Bran sobre os perigos de ficar muito tempo em uma visão e vai lhe revelando o passado aos poucos. Na vez seguinte, ele presencia seu pai e o pai de sua companheira de viagem, Meera Reed, liderarem um grupo de homens até uma pequena torre no campo.

A torre é guardada por dois cavaleiros Targaryen, sendo um deles Sor Arthur Dayne, o maior esgrimista que já existiu. O jovem Ned afirma que o Rei Louco e toda a sua dinastia estão mortos e que ele está ali pela sua irmã. Os dois cavaleiros apenas dizem que tem uma missão a cumprir e atacam o grupo, que vai caindo um por um, até sobrar apenas Ned.

Bran se decepciona ao descobrir que, ao contrário do que acreditava, seu pai não vencera Sor Arthur, que na verdade fora apunhalado pelas costas pelo pai de Meera, antes deste morrer. Ned então começa a subida para a torre, ao que Bran grita seu nome. Desafiando o impossível, Ned para e procura por quem quer que o tenha chamado.

O velho traz Bran de volta e ele não vê o que acontece na torre naquele momento. Na sua próxima visão, eles testemunha a criação dos Caminhantes Brancos pelas Filhas da Floresta. Quando volta à realidade e questiona aquela que os salvara, recebe como resposta apenas o fato de que elas precisavam se defender dos homens, que invadiam suas florestas e derrubavam árvores.

Em outra ocasião, quando o velho está dormindo, Bran entra em uma das visões sozinho. Ele testemunha o exército dos mortos e encontra o Rei da Noite, que surpreendentemente pode vê-lo. Bran tenta fugir, mas o Rei consegue tocá-lo antes que acorde.

O velho então se desespera, pois sabe que tendo tocado e marcado Bran, eles agora conseguirão entrar na caverna. Enquanto Meera e Hodor fazem os preparativos para fugir, o velho conduz Bran a uma última visão.

Enquanto a caverna é invadida por mortos-vivos, Bran volta para o passado de Winterfell. Contudo, Meera grita, tentando acordá-lo e dizendo que eles precisam que ele controle Hodor. Na visão, Bran escuta ela gritando e acaba dominando Willis inadvertidamente.

Ao mesmo tempo em que as Filhas da Floresta e o lobo de Bran se sacrificam para que eles possam fugir, Hodor arrasta o trenó até a saída. A porta é pesada e ele é obrigado a soltá-lo para abrir, com os mortos os perseguindo.

Uma vez fora, Meera pega o trenó e foge, gritando para Hodor segurar a porta (“Hold the door”, em inglês). No passado Willis convulsiona no chão repetindo essas palavras, “hold the door”, “hold the door”, até que repete apenas “hodor”. Fica claro, portanto, que Bran não apenas pode ver o passado, mas influenciá-lo.

Meera mal aguenta carregar Bran em meio à nevasca, sendo questão de tempo até os mortos os alcançarem. Quando isso finalmente ocorre, no entanto, seu tio Benjen surge para salvá-los.

Quando indagado por Bran como ele sobrevivera tanto tempo ao norte da Muralha, Benjen explica que seu grupo fora atacado pelos Caminhantes Brancos e deixado para morrer, mas uma das Filhas da Floresta o salvara. Ele agora vive entre o mundos dos homens e dos caminhantes.

Benjen também explica que a Muralha foi construída não apenas com gelo, mas com mágica, para impedir as coisas ao Norte de atravessá-la. Enquanto ela estiver de pé, nem ele nem os Caminhantes Brancos poderão marchar para o sul.

Ele deixa Bran e Meera novamente na árvore que ele tocara anteriormente e se despede. Mais uma vez, Bran toca na árvore e completa sua visão da torre. Ele vê seu pai subir os degraus até o topo, onde encontra sua irmã Lyanna, tendo recém dado a luz e prestes a morrer. Ela lhe implora para que Ned proteja seu filho, cujo pai não poderia ser ninguém senão Rhaegar Targeryan.

Bran compreende, portanto, que Jon Snow é descendente dos Targaryan, mais precisamente, sobrinho de Daenerys.

Arya: sem sua visão, ela passa a mendigar por moedas no porto, até ser visitada pela Garota, que lhe dá um bastão enquanto segura um próprio. Ela ataca Arya sem piedade, que obviamente leva uma surra. Ela passa a visita-la todos os dias.

Eventualmente, o Homem aparece, dizendo que se a garota falar seu nome, lhe dará comida, abrigo, e lhe devolverá a visão. Ela diz que não tem nome e o Homem então leva-a de volta à Casa do Preto e Branco para que ela conclua seu treinamento.

Mesmo cega, sua destreza com o bastão vai aumentando até que ela consegue derrotar a Garota. Finalmente, o Homem percebe que ela está pronta e lhe dá de beber do poço do centro da casa, da mesma água que Arya vira tantas pessoas beberem e morrerem.

Mas a água mata apenas quem é alguém. Se ela realmente é ninguém, não há nada com que se preocupar. Ela bebe da água e recupera sua visão. O Homem então dá a ela uma segunda chance de provar seu valor e diz que seu próximo alvo é uma atriz.

Ela assiste à peça e visita os bastidores, afeiçoando-se à mulher e percebendo que, provavelmente, fora outra atriz, invejosa, que encomendara o assassinato. Arya se recusa a mata-la, sabendo dessa vez que não poderá voltar à Casa do Preto e Branco.

Ela recupera sua espada e compra uma passagem de volta a Westeros, mas não tem chance de usá-la. A Garota vem ao seu encalço, com o rosto de uma senhora, e a esfaqueia. Arya consegue fugir mergulhando em um rio e pede ajuda da atriz que salvara.

Ela sobrevive, mas a Garota eventualmente aparece para cumprir o contrato recusado por Arya. Quando percebe que ela ainda está viva, inicia-se uma perseguição entre as duas, que culmina num beco escuro. Felizmente, escuro não é nada para quem lutou sem a visão.

Arya retorna à Casa para despedir-se do Homem e, possivelmente, roubar alguns rostos. Ela admite então que não é ninguém, mas sim Arya Stark de Winterfell, e está voltando para casa.

Sammuel Tarly: ignorando o que acontece na Muralha, Sam, Gilly e seu filho chegam em Monte Chifre, onde ele pretende deixa-la, aos cuidados do pai, enquanto ele parte para Vilavelha para se tornar Meistre.

Lá chegando, contudo, apesar de bem tratados por sua mãe e irmã, Sam ainda sofre com o desdém de seu pai. À noite, ele muda de ideia e decide levar Gilly e o pequeno Sam junto com ele, mas não antes de roubar a espada da família, que é de aço valiriano. Eventualmente eles chegam a Vilavelha, onde Sam fica abismado com a grandiosidade de sua biblioteca.

Norte: em Winterfell, Ramsay lamenta a morte de sua amada, mas dá seu corpo para ser comido pelos cães. Seu pai regozija-se em saber que seu filho nascera, com a mulher que lhe fora dada por Walder Frey, e que é um menino. Temendo perder a herança dos Bolton, Ramsay mata o próprio pai e manda avisar a todos que ele morrera envenenado por seus inimigos. Logo em seguida, leva a Sra. Bolton e o bebê até os canis, onde solta os cachorros para devorar ambos.

Não muito tempo depois, Lorde Umber vem visita-lo, com um presente: Osha e o jovem Rickon Stark. Ao perguntar como ele pode saber que aquele é Rickon, Umber lhe mostra a cabeça de seu lobo. Ramsay agradece e, sabendo que Osha não tem utilidade, logo acaba matando-a.

Na Muralha, os amigos de Jon – incluindo Sor Davos – descobrem seu corpo e o levam para dentro. Sabendo o que acontecerá em seguida, Edd parte para pedir ajuda aos selvagens.

Thorne confessa o crime aos demais e explica seus motivos, acreditando que Jon seria a ruína da Patrulha. Ele então dá um prazo para que Davos e os demais abram a porta, prometendo perdoá-los. Não acreditando em uma palavra, eles resistem até a noite, quando Thorne e os demais começam a tentar arrombar a porta.

Felizmente, os selvagens surgem ao resgate, liderados por Edd e Tormund. Em maior número e com o gigante do lado deles, ninguém ousa enfrenta-los. Edd manda então prender Thorne e os demais, enquanto Davos pergunta a Melissandre se ela não conhece alguma mágica para trazer Jon de volta.

A princípio relutante, já que nunca teve esse dom, ela concorda em fazer uma tentativa. Ela o despe, limpa seu corpo e faz o ritual, dizendo palavras antigas. Num primeiro momento o ritual parece não funcionar, mas quando eles deixam a sala, Jon volta à vida.

No dia seguinte, obviamente todos se surpreendem com o ocorrido, incluindo o próprio Jon. Depois do choque inicial, contudo, ele executa Thorne, Olly e os demais traidores, e passa o manto de Lorde Comandante para Edd, afirmando que sua vigília terminara.

Não demora, Sansa aparece nas portas de Castelo Negro, acompanhada de Brienne e Podrick. Ela e Jon se abraçam depois de um esperado reencontro e trocam histórias. Ela afirma que quer sua ajuda para retomar Winterfell, mas Jon diz que está cansado de batalhas.

Sua opinião muda, no entanto, quando eles recebem uma carta de Ramsay dizendo que tem Rickon como refém e quer sua esposa de volta. Do contrário, ele marchará ao norte, matará todos os selvagens e fará ele assistir os horrores que fará com Sansa e Rickon.

Sem muita escolha, portanto, eles começam a planejar como conseguir um exército numeroso o suficiente para tomar Winterfell. Ramsay tem o apoio de duas das casas mais importantes do norte, mas eles podem conseguir de outras. Além disso, Sansa afirma que seu tio, Peixe Negro (o que escapara do Casamento Vermelho) formara um exército e retomara Correrio, o que faria dele um grande aliado.

Ela sabe disso graças a Petyr Baelish, que se encontrara com ela em Vila Toupeira para oferecer-lhe seus serviços. Eles tem um exército em Fosso Cailin prestes a atacar. Porém, depois do que ele a fizera passar, Sansa se recusa e ele parte, apenas lhe dando as boas novas sobre seu tio.

O domínio de Peixe Negro sobre Correrio, contudo, não dura muito, já que Walder Frey manda seus filhos recuperarem o castelo e recebem ajuda do exército real, liderado por Jaime Lannister. Surpreendentemente, eles não mataram Edmure Tully após os eventos do Casamento Vermelho, mas o mantiveram prisioneiro.

Jaime o usa, então, para entrar no castelo e ordenar suas forças que se rendam, já que ele é o verdadeiro Lorde de Correrio. Brienne, enviada por Sansa para pedir ajuda de Peixe Negro, chegaria em tempo de ver o velho Tully tombar lutando.

Os Frey e os Lannister, nas Gêmeas, comemoram então a retomada do castelo, mas Jaime não está nem um pouco feliz de estar ali e logo parte. Na noite seguinte, o velho Walder está sozinho no jantar, comendo uma torta servida por uma serviçal. Quando ele pergunta onde estão seus filhos, ela lhe mostra os pedaços deles na torta. Ela então remove seu rosto, revelando Arya Stark, antes de cortar-lhe a garganta.

Enquanto isso, Jon e Sansa passam por todas as casas do Norte pedindo ajuda, mas recebem bem menos aliados do que o esperado. Ainda assim, eles marcham para Winterfell e, nos campos à frente do castelo, se dá a Batalha dos Bastardos.

Antes que o confronto se inicie, Ramsay liberta Rickon, dizendo-lhe para correr até o irmão. Antes que ele o alcance, no entanto, é atingido por uma flecha e cai morto.

Furioso, Jon ataca e seu exército diminuto dá trabalho para os Bolton e seus aliados traidores. Contudo, logo são sobrepujados e encurralados, cercados pela infantaria implacável de Ramsay.

Quando tudo parece perdido, no entanto, Lorde Baelish surge com o exército do Ninho da Águia para salvar o dia. Sansa, quando vira que eles estavam em inferioridade numérica, enviara um corvo a Fosso Cailin aceitando a ajuda de Mindinho.

Derrotado, Ramsay corre de volta para o castelo, mas Jon não está satisfeito. Eles correm atrás dele, e o último gigante vivo dá sua vida para destruir a porta do castelo e permitir que eles invadam.

Jon então finalmente encara Ramsay olho no olho, e o espanca quase até a morte. Ao invés disso, no entanto, o amarra no canil e deixa seus cachorros fazerem o resto. Sansa assiste à cena e se sente vingada.

No dia seguinte, Sor Davos – que encontra o brinquedo que fizera a Shireen próximo aos restos de uma fogueira – confronta Melissandre em frente a Jon. Ela admite ter queimado a pequena viva e Davos exige que ela seja executada por assassinato. Jon manda-a marchar para o sul e nunca voltar.

Lorde Baelish conversa com Sansa e admite que seus planos incluem sentar-se no trono de ferro, com ela a seu lado. Ele não fica feliz, portanto, quando os nortenhos proclamam Jon o novo Rei do Norte, para sua surpresa.

Essos: Tyrion e Varys caminham pelas ruas para tentar entender os problemas do povo, quando se deparam com pessoas fugindo. Ao procurar a fonte da confusão, chegam até o porto, onde encontram toda a frota de navios pegando fogo.

Retornando à pirâmide, Tyrion afirma que não é bom deixar dragões no cárcere, ou eles definharão, e decide libertar os dois que estão presos no porão.

Varys, por outro lado, descobre que uma mulher chamada Vala estava por trás da Conspiração dos Filhos da Harpia. Após fazer um acordo com ela, obtém a informação de que a rebelião estava sendo financiada pelos mestres de Astapor, Yunkai e Volantis.

O conselho então formado por Tyrion, Verme Cinzento e Missandei chama os mestres para negociar. Tyrion lhes dá 7 anos para abolir a escravidão e eles deixarão de financiar os Filhos da Harpia. Mesmo contrariando Verme Cinzento, os dias que se seguem são de paz.

Eles recebem a visita de uma feiticeira vermelha que, tal como Melissandre, segue o deus da luz. Surpreendentemente, ela sabe sobre o episódio em que Varys fora mutilado, com detalhes que ninguém poderia saber, incluindo o nome que ele ouvira quando seu membro fora jogado às chamas.

Longe dali, Sor Jorah e Daario seguem a trilha de Daenerys, que é entregue a Khal Moro, que pretende estupra-la, mas quando ela afirma ter sido a khaleesi de Khal Drogo, ele se desculpa. É proibido que qualquer dothraki toque na mulher de um khal, mesmo após sua morte. Ele a levará até a Dosh Khaleen, na cidade sagrada de Vaes Dothrak, onde as viúvas devem passar o resto de seus dias.

Lá chegando, ela é informada que ainda será julgada se deve pertencer ao grupo das viúvas ou não, já que ela vagara pelo mundo após a morte do Khal. Jorah e Daario conseguem se infiltrar na cidade, mas quando tentam resgatá-la, ela diz ter outros planos.

Os líderes dos dothraki adentram então na Dosh Khaleen para julgá-la. Após um breve diálogo, ela começa a derrubar as tochas que iluminam o templo no chão, fazendo o local todo pegar fogo. Eles tentam fugir desesperados, sem sucesso.

Ela então sai do templo em chamas e todos os dothraki ajoelham-se perante ela uma vez mais. Eles juntam-se aos Imaculados e aos Segundos Filhos para formar o maior exército que Essos já vira.

Antes de seguirem viagem, contudo, Jorah lhe mostra o braço, que já está quase todo tomado pela doença. Ela lhe ordena, então, que encontre a cura e volte para servi-la.

Quando retorna a Meereen, no entanto, a cidade está sob ataque. Os mestres traíram o acordo, pois sabem que se Meereen prosperar, provará que um sistema sem escravos funciona. Daenerys usa seus dragões para queimar alguns barcos, intimidando-os.

Os três mestres então se rendem, mas por conta de sua traição, Verme Cinzento mata dois deles. Tyrion exige que o sobrevivente conte às cidades o que se passara em Meereen. Logo depois, Lorde Varys parte de volta a Westeros, onde precisa encontrar aliados que suportem o retorno de Daenerys.

Sua partida se dá pouco antes da chegada de Theon e Yara, e eles fazem um acordo. Daenerys terá os barcos deles, se ela os ajudar a matar seu tio Euron. Ela concorda e decide deixar Daario governando Meereen junto aos Segundos Filhos, mesmo a contragosto do guerreiro.

Ela então nomeia Tyrion a Mão da Rainha e eles começam os preparativos para partir. Em poucos dias, a maior frota que o mundo já viu está cruzando o mar estreito, junto a três dragões.

Dorne: no mesmo instante em que o Príncipe Doran recebe a notícia de que Myrcella está morta, Ellaria e as Serpentes o atacam. O Príncipe e seu guarda mais leal acabam mortos e elas assumem o trono. Em seguida, Obara e Nymeria matam Trystane, acabando com o que restara da casa Martell.

Tempos depois, Lady Olenna está diante delas, enlutada, já que perdera toda a sua família, mas sedenta de vingança. Elas então lhe reapresentam alguém que pode ajudar todas elas: Lorde Varys.

Anúncios

Deixe uma resposta