Juiz Dredd: Democracia

DreddAté que ponto a democracia é realmente boa? Quão alto é o preço da liberdade? Não estaremos nos iludindo ao achar que este é o melhor sistema a ser adotado? São perguntas assim que permeiam essa especialíssima edição de JUIZ DREDD MEGAZINE.

Já falei do Juiz Dredd, um de meus personagens preferidos, aqui. A Mythos vem acertado em cheio nas suas publicações e esta não é uma exceção. A edição reúne todas – ou pelo menos, as principais – histórias do juiz de Mega-City Um nas quais ele e todo o Departamento de Justiça tiveram que enfrentar um poderoso inimigo intangível: a ideia do retorno ao sistema democrático.

Quem conhece o Juiz Dredd sabe que suas histórias se passam num futuro onde o sistema político que conhecemos entrou em colapso, dando lugar ao sistema dos juízes, em que eles são policia, juri, juiz e executores. Este sistema foi adotado porque restam poucas cidades nos EUA após as guerras nucleares, todas entupidas de habitantes. Mega-City Um, a cidade onde Dredd vive, tem 800 milhões de cidadãos, todos criminosos em potencial. Neste caso, a justiça precisa ser rápida. Mas até que ponto é correta? É justo uma pequena minoria deter tanto poder em suas mãos?

É pensando nisso que alguns cidadãos começaram o movimento democrático, para pleitear a volta do antigo regime. Tal movimento percorreu as revistas de Dredd por longos anos e a Mythos decidiu, acertadamente, reunir as principais histórias que concernem este episódio em 84 páginas. São três histórias na qual o movimento se origina, cresce e morre – ou talvez não, nunca se sabe.

Apesar do clima de aventura, recheado de violência e humor negro que sempre está presente nas histórias de Dredd, não é raro ver temas importantes como este serem debatidos em suas páginas. Vivemos num regime democrático, mas até que ponto ele vale a pena? Será que a liberdade é algo tão bom assim, quando as pessoas não sabem o que fazer com ela?

Perguntas que ficam no ar e que cabem a cada um responder por si.

Ah, sim, eu tive a oportunidade de comparar esta edição com a original em inglês. Em Julho de 2012 ganhei o exemplar “Democracy Now” na SDCC, direto com um dos editores (desculpa aí), correspondente à terceira parte deste especial da Mythos. Bem legal poder ver e comparar, não é sempre que temos essa oportunidade. A Mythos realmente faz um trabalho primoroso nas traduções.

Só uma coisa que eu achei estranha, tem uma personagem que é entrevistada em certa página. No original, ela tem os cabelos arrepiados para cima e na edição brasileira, o cabelo dela é totalmente curto. Não sei se isso foi uma mudança da Mythos mesmo – e não vejo o motivo de tal mudança – ou se a própria 2000AD mudou, já que a hq original fora publicada na década de 90 em várias edições e este era um especial que reunia a saga completa. Ou seja, pode ter sido uma mudança da própria 2000AD quando da republicação. Agora o porquê disso, só eles mesmo pra reponderem!

Anúncios

Deixe uma resposta