Não apenas uma excelente homenagem a Sopranos, mas uma ótima história de máfia, como há anos não se via.

Eu falei rapidamente sobre Sopranos em um post de 2009, mas revi recentemente, em preparação para o filme, e a série continua atualíssima. Não só isso, pra mim é a melhor série de todos os tempos. Sempre achei que ela ficava empatada no pódio com Breaking Bad, até que descobri a seguinte declaração de Bryan Cranston, da época em que James Gandolfini (que interpreta Tony Soprano) morreu:

Bryan Cranston on James Gandolfini: breakingbad

“Não existiria Walter Whyte se não tivesse existido Tony Soprano”, pura simples, o que pra mim, quebra o empate e mostra ainda mais a genialidade de Sopranos. Mais sobre isso aqui:

Após esse meu breve preâmbulo, dizer que este filme era um dos poucos para os quais eu estava empolgado esse ano, chega a ser redundante. E, diferente do último Bond, esse não decepcionou.

Já começa com a narração de Christopher Moltisanti, o que faz todo sentido, já que a história é sobre seu pai. Aliás, pode ser um engano quem vá ver o filme pensando que se trata apenas da juventude de Tony Soprano. Não, o protagonista aqui é Dick Moltisanti, mas é justamente sua vida que influenciou Tony e o fez entrar no mundo do crime, como dito repetidas vezes durante a série. E isso não é um demérito do filme de forma alguma.

Os atores estão ótimos, todos eles. Quem é fã da série não vai se decepcionar e com certeza vai abrir um sorriso ao vê-los em cena. Aquele sorriso que se dá quando você não vê um amigo querido que há muito não via. Estão todos lá: Sil, Paulie, Pussy, com seus trejeitos, expressões e o costumeiro “Ouuu!” quando querem protestar sobre alguma coisa.

A excelente Vera Farmiga está espetacular como Livia Soprano. É como se simplesmente tivesse rejuvenescido a atriz original, de modo que a maneira de falar, as expressões, o tom de voz nos momentos certos, a linguagem corporal… tudo está perfeito! Jon Bernthal também está ótimo como Jhonny Soprano, pena que ele não apareça tanto. Igualmente excelente é Corey Stoll como Junior Soprano, e óbvio, é sempre legal ver Ray Liotta (Os Bons Companheiros) de volta no papel de mafioso.

E claro, não poderia haver outro ator interpretando o jovem Tony Soprano que o filho de James Gandolfini, Michael, simplesmente a cara do pai e não apenas isso: assim como todos os outros, está com todos os trejeitos e modo de falar do personagem principal da série. Especial destaque para a cena em que discute com a mãe na cozinha, remetendo imediatamente aos diálogos que Tony tinha com ela na série, terminando com o tradicional “Oh, poor you!”, hahaha.

Aliás, fan service aqui é o que não falta. Revemos cenas que havíamos visto somente em flashback na série, ou vemos acontecer cenas que eles apenas haviam comentado em alguns episódios. Lembrando, a história aqui é de Dick Moltisanti, mas quase tudo que é mostrado remete a alguma coisa que já sabemos que vai acontecer láááá na frente.

A história se desenrola mais ou menos como em Os Bons Companheiros, não há uma linha a ser seguida aqui, é apenas a história de vida de um cara que escolheu a vida do crime. Começamos no final dos anos 60 e vamos até os anos 80, acompanhando sua trajetória e dos demais personagens que fizeram de Sopranos um clássico.

E claro, ainda falta coisa a ser contada. O filme merecia pelo menos mais uma hora para contar a trajetória de Tony após a morte de Dick, mas talvez isso fique para um segundo filme. Aliás, morte essa que esconde um segredo que irá surpreender até mesmo o fã mais ardoroso de Sopranos.

Eu recomendaria, fã ou não fã, que todo mundo visse a série toda antes de assistir ao filme. Mas, se você está com preguiça ou falta de tempo, veja ao menos esses episódios:

S01E07 – ” DOWN NECK “: Mostra o flashback da infância de Tony, quando ele vê seu pai sendo preso.
(Há um erro de continuidade aqui, se comparado com o filme, mas pode ser muito bem que Tony estivesse lembrando as coisas de forma errada).
S04E01 – ” FOR ALL DEBTS PUBLIC AND PRIVATE “: Christopher mata o assassino de seu pai.
S06bE01 – “SOPRANO HOME MOVIES “: Janice conta uma história sobre o passado enquanto eles jogam banco imobiliária.

Mas seja você um fã da série ou não, é uma película que vale a pena ser apreciada, já que não víamos um bom filme de máfia desde Casino. E fica aquele gosto de “quero mais”.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s